Como o exercício melhora a sua Memória?

Todos nós sabemos que o exercício é bom para nós. Sair do sofá e subir na esteira fortalece nossos músculos, aumenta o fluxo sanguíneo, nos dá energia e, claro, queima gordura, para que possamos realmente caber naquele jeans skinny.

 Para a maioria das pessoas, esse é um incentivo mais do que suficiente para ir à academia. Mas, para alguns de nós, particularmente aqueles do tipo que fica em casa e lê, aqueles de nós que são menos esportivos, saúde e preparo físico por si só não são razão suficiente para fazer exercícios físicos.

Mas aqui está outro benefício: os exercícios também podem fortalecer seu cérebro, principalmente sua memória! Um novo estudo da Radboud University, na Holanda, reuniu três grupos de participantes aleatórios e pediu que cada um olhasse o mesmo conjunto de imagens.

O primeiro grupo fez um treino um tanto extenuante de 35 minutos imediatamente depois. O segundo grupo fez o mesmo exercício quatro horas depois, e o terceiro não fez nenhum exercício. 

Dois dias depois, todos os participantes retomaram o teste de imagem, e os do segundo grupo que tiveram um atraso de quatro horas foram capazes de lembrar mais imagens.

Isso sugere que o exercício regular pode melhorar a memória de longo prazo, ou seja, a capacidade de recordar qualquer coisa de mais de alguns minutos atrás. A pegada? 

O exercício deve acontecer próximo ao momento em que a memória é formada. De acordo com os pesquisadores, isso ocorre porque, quando você faz exercícios, o cérebro libera neurotransmissores como a dopamina e a noradrenalina, que ajudam o cérebro a consolidar as memórias.

Se esses produtos químicos estiverem ausentes quando seu cérebro absorve informações, acredita-se que essas informações se deteriorem mais rapidamente. Isso sugere que o exercício regular pode melhorar a memória de longo prazo, ou seja, a capacidade de recordar qualquer coisa de mais de alguns minutos atrás.

Mas é aqui que as coisas ficam complicadas. Os participantes desse primeiro grupo (que malharam imediatamente após o teste) se lembraram do mesmo número de imagens que aqueles que não malharam. Isso significa que sua habilidade de lembrar coisas não depende apenas de SE você treina, mas de QUANDO você treina.

Ou seja, um pequeno atraso entre o momento em que seu cérebro registra as informações e quando você entra na esteira pode ser crucial para sua capacidade de lembrar essas informações.

Claro, mais pesquisas são necessárias, então os cientistas ainda não podem dizer com certeza se o adiamento do exercício leva a uma memória melhor. Mas, quando se trata de exercícios como causa direta do aumento da capacidade cognitiva, os cientistas concordam que sim!

Isso ocorre porque o exercício libera hormônios que reduzem a inflamação e a resistência à insulina, além de estimular o crescimento de células e vasos sanguíneos em seu cérebro, tornando-o, de certa forma, mais forte.

Alguns estudos até sugeriram que as partes do cérebro que controlam a memória – o córtex pré-frontal e o córtex temporal medial – são maiores em pessoas que se exercitam regularmente.

A melhor parte disso? Você pode ser o mesmo preguiçoso de sempre, pois precisa de apenas duas horas de exercícios moderados por semana. 

Duas horas por semana! Isso pode significar passear com o cachorro por meia hora todos os dias, andar de bicicleta para o trabalho ou jogar 18 buracos no fim de semana.

Os pesquisadores de Harvard contam até mesmo as atividades domésticas, como varrer folhas ou esfregar o chão intensamente.

Basicamente, contanto que você comece a suar um pouco – é um exercício! E a chave para desbloquear esses benefícios – pelo menos em um sentido de longo prazo – é a regularidade.

Para fazer isso, especialistas em fitness recomendam aulas de ginástica em grupo ou personal trainers, porque é mais provável que você siga um regime de exercícios programado.

Quando o exercício se torna rotina, sua memória se fortalece e, em breve, “esquecer de malhar” não será mais uma desculpa viável. 

Compartilhe este post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.