Carboidratos

Guia definitivo para perder barriga rápido!

Vocês estão prontos para perder a gordura da barriga? Estão prontos para perder peso? Fazer isso de uma vez por todas!!!

Se você que perder barriga rápido este artigo vai resumir tudo para vocês, porque existem tantas dietas novas, mas a verdade é que nada mudou, o corpo humano que você tem é a mesma composição genética de cem mil anos atrás, então tudo que você precisa fazer é entender como o corpo realmente funciona. Somente quando você entender o mecanismo do corpo humano, você será capaz de criar essa perda de peso e gordura para sempre e será fácil chegar lá!

Nós ganhamos gordura porque estamos comendo muitas calorias, mas isso não responde nada, a questão é: Por que comeríamos muitas calorias? O que determina esse comportamento?

Existem duas coisas que vamos repassar em detalhes e realmente elaborar para que você entenda como perder barriga rápido: um é que comemos muito frequentemente e o outro é que comemos as coisas erradas. Uma vez que você entenda por que são as coisas erradas e como as coisas se encaixam, você vai ver como tudo ficará claro.

Você acha que este urso está acima do peso?

Ele pode pesar 200kg, pode ter uma grande porcentagem de gordura corporal, mas ele é perfeitamente normal, saudável e funcional. Ele pode correr mais rápido do que você ou eu jamais poderia, tem a quantidade exata de gordura para aquela época de sua vida, naquele seu ambiente. Ele segue um comportamento natural e seu comportamento é ditado por hormônios.

Muitas pessoas hoje estão acima do peso por causa de uma mudança genética, isso simplesmente mudou e nos engordou, isto ocorre em aproximadamente duas gerações. A composição genética permaneceu a mesma e tivemos sucesso e força de vontade em manter nosso peso normal por milhares de gerações, tivemos essa força por muitos anos e então de repente ela se foi.

Mas a questão é: por que agora?

Assim como o urso que segue os hormônios somos nós, os hormônios determinam nosso comportamento, mas ao contrário do urso, desenvolvemos hormônios não naturais, um equilíbrio não natural de hormônios porque a comida que ingerimos não é mais natural.

Todos os outros animais no planeta comem comida da natureza que é apropriada para sua espécie e os humanos não fazem mais isso, entendo que pode ser extremamente frustrante porque nos disseram tantas coisas diferentes sobre dietas, calorias e baixo teor de gordura e todas essas coisas podem estar equivocadas.

Isso não é sua culpa, mas não te isenta da responsabilidade de agora em diante, quando você tiver acesso às informações corretas, terá que aprender como seu corpo realmente funciona para que possa fazer essas mudanças e ter sucesso de uma vez por todas.

O primeiro fator que mencionei foi que comemos muitas vezes, há um ciclo de fartura e fome em todos os lugares da natureza. Comemos algo quando há bastante comida, armazenamos o excesso para que tenhamos sobras quando houver menos e precisarmos jejuar, podemos queimar as reservas até termos uma chance de comer novamente.

O urso dentro de um ano passa por dois ciclos que duram 6 meses cada. Em um desses ciclos ele alimenta-se compulsivamente, para armazenar gordura suficiente e resistir ao período de hibernação, onde ele não come nada por aproximadamente seis meses, que é o outro ciclo.

É claro que os humanos não fazem isso e não podemos saber com certeza o que nossos humanos pré-históricos passavam, mas se olharmos para todas as outras espécies do planeta, podemos dizer que nossos ancestrais não comiam três refeições e lanches a cada duas horas ao longo do dia.

Possivelmente eles comiam uma ou duas vezes por dia, quando tinham sorte e se eles não tivessem tanta sorte, poderiam passar alguns dias sem comida. Então há um padrão de jejum, existe um ciclo embutido em nosso metabolismo.

Quanto ao ciclo dos humanos modernos, provavelmente se tivermos sorte, será de oito horas e cinco minutos.  Isto é, se pudermos dormir oito horas completas e levarmos cinco minutos para encontrar comida quando nos levantarmos.

O que temos feito como humanos modernos é comer e armazenar, porém contornamos o jejum, pulamos essa parte e pulamos a queima, porque não podemos queimar a menos que ocorra o jejum.

 Quando você entra nesse ciclo de comer e armazenar, depois comer e armazenar e novamente comer e armazenar, isso torna-se uma rotina, pois deveria comer até estar satisfeito, não se encher até ficar com náuseas, mas deve comer até ficar satisfeito, até ter o suficiente para enviar ao corpo um sinal de que você está seguro, que está tudo bem.

Podemos alterar o metabolismo quando tentamos pular refeições, pois ao tentamos comer menos, estamos enviando ao corpo a mensagem de privação, de que nunca há o suficiente e o corpo começa a desacelerar o metabolismo, então você deve comer até estar satisfeito, mas não deve comer seis vezes por dia e quando fazemos isso é onde ficamos presos neste ciclo de comer e armazenar, não tendo a chance de equilibrar esse ciclo.

E como chegamos a este ponto?

Bem, há duas possíveis razões, uma dela é que alguém disse para comer seis vezes ao dia para aumentar o açúcar no sangue. Seis vezes ao dia é uma coisa boa, o que atrapalha é a outra parte, que são os tipos de alimentos que estamos comendo.

Provavelmente já ouviu falar sobre a glicose no sangue e como isso se relaciona com o ganho de gordura e peso bom, uma pessoa média tem cerca de 100 miligramas de glicose por decilitro. 

Para a pessoa de tamanho médio isso soma cerca de três gramas, isso é meia colher de chá de açúcar a qualquer momento. E o corpo realmente gosta que mantenha-o em uma faixa apertada, para que quando você estiver jejuando possa estar entre 80 e 85 miligramas e após uma refeição possa chegar a 120 se você comer alimentos inteiros com proteínas como carne e gorduras boas e vegetais sem amido.

Esses enormes picos de açúcar no sangue quando acontece, faz seu corpo entrar em modo de emergência. Digamos que você siga as recomendações e coma 100 gramas de carboidrato três vezes ao dia, com quatro horas de intervalo. Neste caso você não pode usar cem gramas de carboidrato até comer novamente, para que seu organismo o utilize.

Talvez já tenham te falado que o carboidrato é o combustível preferido, porque o corpo o usa primeiro e é o combustível preferencial. 

Bom não é que ele prefere, na verdade ele tem que usá-lo primeiro.  É uma emergência tem que tirar essa glicose da corrente sanguínea e se você comer cem gramas, toda essa glicose tem que entrar na corrente sanguínea antes de entrar nas células.

Isso tem que acontecer em um relacionado período muito curto, porque mesmo uma colher de chá vai disparar sua glicose para 300 e toda essa glicose tem que passar pela corrente sanguínea, para as células e qualquer carboidrato extra que você não pode usar antes da próxima refeição tem que ser armazenado. Todo excesso tem que ser armazenado.

O corpo armazena energia que podem ser encontradas em carboidratos e gordura, nos seus músculos você tem armazenamento de proteína e isso pode ser usado em uma emergência extrema, você pode converter proteína em energia, mas esse não é o propósito, o propósito da proteína está na construção de partes estruturais e bloqueadas.

Carboidratos

Contudo falaremos agora sobre carboidratos e gordura, temos uma capacidade muito limitada de armazenar carboidratos, seus músculos podem conter cerca de 1.600 calorias, seu fígado pode armazenar cerca de 400 calorias.

E por que armazenamos energia? Para sobrevivência, certo!?

Precisamos de energia para o movimento, precisamos dela para gerar calor e pensar, precisamos de sinais do cérebro para controlar o movimento e o metabolismo e todas essas coisas.

Ao olharmos para o armazenamento total de carboidratos como sendo 2.000 calorias, então isso é o quanto uma pessoa relativamente magra armazenaria. 

Caso você estiver usando cerca de 2.000 calorias por dia para a sobrevivência, isso significa que se você dependia exclusivamente de carboidratos, poderia viver um dia. Poderíamos dizer que sempre que os humanos não tivessem comida por um dia seríamos eliminados.

Nunca teríamos feito isso como espécie e é por isso que podemos armazenar gordura, gordura é uma forma de armazenamento muito mais eficiente. Podemos armazenar 90 vezes mais, o que equivale a 180.000 calorias. 

O que nos manteria vivos por três meses, você poderia viver com essa quantidade de gordura por três meses bebendo nada além de água, seu corpo percebe a diferença, ele descobre como funcionar e fazer o melhor possível sob essas circunstâncias.

Esta não é nem mesmo uma pessoa com sobrepeso, é uma pessoa com 28 de gordura corporal, então não é como um atleta super magro, mas não é uma pessoa com sobrepeso

E de onde veio essa gordura?

Veio principalmente da glicose, o corpo pode armazenar qualquer excesso de energia como gordura, mas como vimos no exemplo anterior, é o excesso de glicose que é mais facilmente armazenado e convertido em gordura.

Se você acumula gordura em excesso mais tem o desejo de perder algum peso, perder alguma gordura, você não pode continuar a todo instante adicionando carboidratos, precisa queimar os anteriores.

Queremos reduzir os carboidratos em geral, nem todos os carboidratos são igualmente ruins, eles não funcionam da mesma forma.

O que temos que entender é que uma planta é feita de glicose, se vier de o reino vegetal é construído a partir da glicose. Se essa glicose entrar na corrente sanguínea, ela acionará a insulina em um grau muito mais alto do que a proteína ou a gordura.

Se pegarmos um pão por exemplo, pão é carboidrato e será convertido em glicose, temos 3% das calorias provenientes da gordura, 12% da proteína e 85% das calorias são do amido da glicose, duas fatias que são muito fáceis de comer são 28 gramas.

Se juntarmos isso a algumas geleias, um pouco de suco de laranja e um pouco de açúcar no café fica muito fácil obter até 100 gramas de carboidratos em uma refeição.

Já o repolho é um vegetal sem amido, 3% de seu peso são carboidratos líquidos, o que significa que pode ser absorvido e se transformar em glicose no sangue. 12% das calorias são gordura, 36% são proteínas e 52% são carboidratos.

Mais as proporções são muito diferentes, os carboidratos não são tão dominantes, tem muito menos e é absorvido mais lentamente, contudo você não pode comer tanto já que, duas fatias de torrada são muito fáceis de comer, porém um quilo de repolho não é tão fácil assim.

Temos uma célula de gordura, qual é o propósito de uma célula de gordura?

Bem, o objetivo é armazenar gordura, onde carregamos nossa energia para que possamos sobreviver a uma fome, uma célula de gordura pode crescer um pouco mais do que qualquer outra célula do corpo.

Em seu estado encolhido, tem cerca de 10 micrômetros, mas pode crescer em diâmetro até 20 vezes, então porque é uma estrutura esférica ou de volume, isso significa que pode crescer 8.000 vezes, pode se expandir e reter 8.000 vezes mais gordura que é a capacidade.

Perspectiva histórica

Novamente chamo a atenção para que você observe a perspectiva histórica do que temos comido, com a mesma composição genética há muito tempo. Durante todo esse tempo 100% do que comíamos era da natureza, não processado e não modificado, assim como todas as outras espécies no planeta, até hoje comemos da natureza.

Começamos com alguma agricultura, a maior parte do que comíamos ainda era comida inteira, o grão provavelmente foi processado em algum grau, mas certamente não foi branqueado ou hibridizado ou algo do tipo.

Talvez durante esse tempo também começamos a usar alguns óleos naturais, óleo espremido fácil, óleo prensado como azeite de oliva.

Assim chegamos nos últimos 50 anos, então em comparação, esses 100.000 anos são provavelmente cerca de 5.000 gerações, milhares e milhares de gerações e entramos em duas gerações como de seus avós basicamente e este período dos últimos 50 anos onde viramos tudo completamente de cabeça para baixo.

Atualmente tudo que comemos é processado, não há praticamente comida inteira para ser consumida mais, comemos farinha branca, açúcar, óleos vegetais processados com produtos químicos agressivos e alto calor com produtos químicos. Usamos sabores artificiais, açúcares artificiais, cores artificiais etc.

Quase tudo isso não é alimento, nós mudamos, não é mais comida e é isso que temos que começar a perceber, que viemos de uma composição genética acostumada a produzir seu alimento, a caçar seu alimento e hoje simplesmente estamos sendo alimentados.

Aqui está uma pergunta interessante se você estivesse tentando engordar alguém o mais rápido possível, como seria aquela dieta bem, fazem isso com camundongos e ratos regularmente porque para certos estudos eles querem ratos gordos. 

Eles criaram uma ração para ratos específica, eles a formularam para que esses ratos ganhassem peso o mais rápido possível, e eles criaram uma fórmula.

Essa fórmula representava 15% das calorias da proteína, 45% da gordura e 40% dos carboidratos.

Os ratos são bem menores que os humanos, mas se você converter essas porcentagens para a escala humana de 2.000 calorias, são cerca de 200 gramas de carboidratos por dia, cerca de cem gramas de gordura e cerca de 75 gramas de proteína.

 Quando você olha para a dieta brasileira padrão não é tão diferente, é quase como se esta dieta fosse projetada para torná-lo o mais gordo possível, o mais rápido possível. Nossa cultura alimentar é majoritariamente baseada em carboidratos e então você diz: Bem, essa é apenas a dieta brasileira padrão.

Na verdade, a questão não é o carboidrato em si, mais a sua fonte de carboidratos. Não se trata do que se deve comer e sim nossas doses diárias para tais alimentos.

Os carboidratos saudáveis presentes em alimentos naturais são extremamente bem-vindo na porção adequada.

Porém a população atual criou o hábito de ingerir esses carboidratos em grandes porções e em fontes extremamente calóricas como os fast food por exemplo, incorporados a nossa cultura nos últimos anos.

A recomendação nutricional nos diz que devemos ingerir de 20 a 30% de gordura, 55 a 65% de carboidratos e de 10 a 20% de proteínas. Quero contrastar isso com uma dieta baixa em carboidratos ou cetogênica que tem aproximadamente a mesma quantidade de proteína. 

Mas tem muito poucos carboidratos, então uma dieta cetogênica normalmente se torna cetogênica quando você obtém 60 a 90% de gordura e carboidratos abaixo de 5% ou cerca de 20 gramas por dia.

Dessa forma, basicamente o que é feito é comer proteína moderadamente e preencher o resto de sua energia, com gordura para tentar obter de forma diferenciada.

Um perfil que é distintamente diferente dos outros padrões. Porém o estilo de vida com baixo teor de carboidratos é muitas vezes ridicularizado dizem que existem muitas desvantagens.

Como eles fazem essa pesquisa? Se eles realmente pesquisaram isso em uma dieta saudável com baixo teor de carboidratos e alta gordura?

Quando eles chamam de dieta rica em gordura, eles começam com uma dieta padrão ou aquelas proporções aproximadas e então eles tomam a gordura de 35 por cento para 45 essa é a ideia deles de uma dieta rica em gordura.

O ponto é eles não reduzirem os carboidratos significativamente, você não pode queimar gordura enquanto sua insulina está alta e reduzi-la de 250 gramas para 200 gramas. Não vai reverter sua resistência à insulina, então você está mantendo os carboidratos em um nível que vai manter a insulina, o que significa que você não pode queimar gordura.

Perder Barriga Rápido

Mesmo que se coma toneladas de gordura, isso é feito em conjunto com a redução de carboidratos, com o baixo teor de carboidratos, se você for muito sensível à insulina, então as gorduras são muito saudáveis, mas se você acumular um monte de gorduras extras enquanto está acumulando carboidratos e açúcar.

Logo a pesquisa não é feita em uma dieta rica em gorduras e com baixo teor de carboidratos, gerando muitos mitos e medos.

Emagrecer na verdade é simples, elimine o açúcar, coma até ficar satisfeito, reduza carboidratos, coma carnes, vegetais, gordura, pare de comer alimentos processados, coma gordura saudável, coma com menos frequência e mantenha a insulina baixa fazendo todas essas coisas, nesse contexto você aprende o que é comida de verdade.

Compartilhe este post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.